Após protestos, governo do RN desiste de palestra sobre ‘etiqueta e elegância’

NATAL – A palestra “Etiqueta e Elegância: A Arte de Receber das Primeiras-Damas do RN”, com a especialista em etiqueta Cláudia Matarazzo, agendada para a manhã desta terça-feira (9), não vai mais acontecer. É que o convite para o evento, promovido pela Secretaria Estadual do Trabalho, da Habitação e da Assistência Social para o 1º Encontro das Prefeitas e Primeiras-Damas do Estado, acabou alvo de críticas nas redes sociais.

As críticas foram questionando a situação financeira que atinge o estado do RN. Além disso, o estado encontra-se com dois decretos de calamidade em vigência: um da seca, que engloba 153 dos 167 municípios potiguares, e outro no sistema penitenciário, que em março viu 14 de suas 33 unidades prisionais serem depredadas em rebeliões.

O cancelamento do evento, que teria como palestrante a especialista em etiqueta Cláudia Matarazzo, foi confirmado na manhã deste domingo (7) pela Secretaria de Comunicação do governo, que em nota informou:

“A Secretaria de Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas) cancelou o evento previsto para ser realizado na próxima terça-feira, na Escola de Governo do RN.
Importante ressaltar que o objetivo do evento era a primeira reunião de uma série de ações de integração dos municípios e troca de experiências em políticas públicas da área social.

Para o momento inicial da programação estava prevista a presença da palestrante Amélia Prudente, do Estado do Ceará, para expor trabalho social realizado naquele estado em parceria com Unicef.
O evento não se resumia à palestra de Claudia Matarazzo, como foi equivocadamente noticiado.

No Facebook, inúmeros usuários reproduziram o convite feito pela Sethas. E não faltaram compartilhamentos e críticas à iniciativa. Numa delas, uma pessoa escreveu: “É bom fazer um protesto em frente ao local do evento. Não tem dinheiro para a Saúde, Segurança e não tem dinheiro para dá reajuste aos Servidores. As estradas é uma tábua de pirulito”. Em outro comentário, um homem desabafa: “Isso deve ser no “país das borboletas”… se for por lá, ainda assim é lamentável, extrapolando o ridículo. Deveriam ter “etiquetas” no trato com as necessidades da coletividade”. Também houve ironia: “Tem certificado? É curso de especialização ou é pós graduação? Kkk kkk faz-me rir”, acrescentou uma mulher.

Com informações do G1 RN – Prefeitura de Santa Cruz / Foto – Divulgação/Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *