Medicamentos falsificados podem representar 15% do mercado, aponta OMS

EBC -Segundo estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 15% do mercado é composto por medicamentos falsificados. Há especialistas que apontam percentuais ainda mais altos: por ser uma comercialização informal, não há como estabelecer um número com precisão. Já o varejo farmacêutico formal comercializa mais de 134 bilhões de doses por ano.

Pâmela Alejandra, farmacêutica do Centro de Informação sobre Medicamentos do Conselho Federal de Farmácia, explica que um medicamento falsificado é aquele que não provem do fabricante original, ou que sofreu alguma alteração ilegal antes do seu fornecimento ao paciente, como por exemplo, conter doses muito baixas do ingrediente ativo e data de validade alterada.

A farmacêutica alerta para a compra de medicamentos pela internet e ou camelôs e recomenda que a aquisição seja feita sempre em farmácias.

Os medicamentos mais apreendidos no Brasil são paratratamento de disfunção erétil, anabolizantes, emagrecedores e pilulas de combate ao câncer, afirma Pâmela Alejandra. Ela cita especificamente: Viagra, Cialis, Durateston, Hemogenin, Deca durabolim e Citotec. De acordo com a farmacêutica, cerca de metade dos medicamentos falsificados são provenientes de fábricas paraguaias.

Enquanto os preços baixos tornam o mercado informal atraente, a população fica exposta a riscos que podem ser fatais, reforça Pâmela Alejandra.
Foto: EBC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *