Novas placas padrão Mercosul seguem sem data de implantação no Brasil

Atrasado, Brasil deveria ter adotado novas placas no início de 2017. Sem sistema unificado, Denatran diz que não há previsão para adotar as placas

Divulgação/Contran
Novo padrão de placas de identificação para veículos. Na esquerda está a placa para automóveis, caminhões e ônibus. Na direita, para motocicletas.

O começo de 2017 era para ter sido marcado pela mudança de placas no Brasil, com o início da adoção do padrão que será usado pelos países do Mercosul . Era, pois a medida foi adiada em setembro passado e segue sem definição de quando será utilizado por aqui – embora Argentina e Uruguai já tenham adotado o sistema e o Paraguai tenha confirmado as novas placas para este ano.

 Placa padrão Mercosul? Pois é, a ideia é um passo a frente do sistema utilizado pela União Europeia. No Velho Continente, as placas tem um formato em que o logo da UE fica ao lado esquerdo, com uma sigla representando o país. A quantidade e sequência de letras e números é livre para cada nação. A Irlanda, por exemplo, usa 8 números e uma letra. A maioria usa 3 letras e 3 números.

 

Divulgação/Denatran
As placas do Mercosul terão o nome do país no topo e, na lateral direita, a bandeira do estado e brasão da cidade onde o veículo está registrado.

Para os países latinos, haverá o padrão de 4 letras e 3 números, que podem ser ordenados da forma que cada governo definir. No topo da placa fica uma barra azul com o nome e a bandeira do país. Do lado esquerdo fica um QR Code, usado para identificação do veículo, enquanto do lado direito será colocada a bandeira do estado e o brasão da cidade. Todas terão o fundo branco e o que irá diferenciar o tipo de veículo é a cor da letra:

Falta de sistema

No dia 8 de setembro de 2016, o Diário Oficial da União foi publicado com a resolução nº 620 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), definida dois dias antes. Nela, a entidade expressou sua preocupação com a falta de um sistema que integre todos os países do Mercosul para fácil consulta do veículo, independente de qual nação ele seja. Ou seja, faltavam quatro meses para a adoção das placas e o sistema não estava pronto.

De acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o Brasil é o responsável pelo desenvolvimento deste sistema para todo o Mercosul. “Como se trata de um complexo sistema em desenvolvimento e que depende da cooperação de outros países, o Brasil não pode fixar uma data sem que haja concordância dos demais integrantes do Mercosul”, explica a entidade para a reportagem de iG Carros .

O que causa confusão é que outros países do Mercosul já começaram a utilizar as novas placas. O Uruguai foi o primeiro a adotar o desenho, usado em veículos novos desde março de 2056. A Argentina começou a utilizar as placas em abril de 2016, com certa urgência – o sistema anterior, de 3 letras e 3 números, estava chegando ao limite. Ao que tudo indica, o próximo será o Paraguai, que já confirmou a estreia do sistema para 2017. Considerando que a Venezuela foi suspensão do Mercosul  catótica situação política do país, é improvável que usem as placas. Com isso, o Brasil deve ser o último a adotar o sistema.

Link deste artigo: http://carros.ig.com.br/2017-01-16/placas.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *