Rodrigo Maia adia para agosto depoimento que daria à PF

247 – O presidente da Câmara e primeiro na linha de sucessão presidencial, Rodrigo Maia (DEM-RJ), conseguiu adiar o depoimento que prestaria nesta quarta-feira (12) à Polícia Federal no âmbito de um dos inquéritos abertos contra ele para apurar o recebimento de propina da empreiteira Odebrecht. O depoimento foi remarcado para agosto.

O advogado de Maia, Danilo Bonfim, pediu o adiamento do depoimento após a Polícia Federal solicitar ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin mais 60 dias para concluir as investigações.

O parlamentar responde a dois inquéritos por corrupção passiva e lavagem de dinheiro abertos contra ele a partir de delações premiadas de executivos da Odebrecht.

Maia é suspeito de ter recebido R$ 100 mil para ajudar a provar uma Medida Provisória que beneficiou a Brasken, petroquímica do grupo Odebrecht.

Juntamente com ele, os senadores Romero Jucá e Renan Calheiros, além do deputado Lúcio Vieira Lima, todos do PMDB, também são investigados no mesmo inquérito.

Maia também é investigado pela suspeita de ter recebido dinheiro para campanhas eleitorais por meio de caixa 2.

Em outro inquérito, o democrata é suspeito de ter recebido R$ 1 milhão para aprovar uma Medida Provisória que beneficiou a empreiteira OAS. 

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *