Tecnomundo: a humanidade nunca mais será a mesma

A tecnociência que envolve a todos nos dias atuais chega a patamares e a uma velocidade de inovações nunca antes experimentados pela humanidade. Nas mãos de grandes corporações, toda essa tecnologia tem sido dirigida por interesses escusos, sejam para fins mercadológicos, políticos ou para vigilância massiva, além de alegados recursos de segurança. O avanço tecnocientífico por vezes é tão rápido que mal temos leis para tratá-lo adequadamente, como os drones e seu uso urbano; os dados que colocam em chips e biometrias. Esta edição especial temática de Caros Amigos busca mostrar o novo cenário de perigos de um mundo cuja paisagem está sendo constantemente redesenhada, o “tecnomundo”, de recursos eletrônicos e robóticos avançados e também de muitos perigos, de benefícios e armadilhas.

A internet é um dos emblemas desse mundo comandado em parte por cérebros eletrônicos, algoritmos e robôs, e onde passamos mais de 70% do nosso tempo e realizamos tarefas cotidianas de banco ou trabalho. Neste auge da era das redes sociais e seus algoritmos, a manipulação social chega a níveis assustadores e a resultados piores ainda. As notícias falsas, as fake news, por exemplo, viraram de fato um peso na balança da democracia e estiveram na base da campanha eleitoral de 2014 no Brasil e pelo impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff; na eleição de Donald Trump, nos Estados Unidos, ou no Brexit, a saída do Reino Unido da União Europeia. Notícia falsa ou manipulada não é novo na história da humanidade, mas na rede de computadores é amplificada em escala global. Os serviços oferecidos abertamente nas redes, como mostra este especial, são diversos e vão desde “popularidade” em uma rede social, por meio do aumento do número de seguidores ou curtidas em uma postagem, até vitória em enquetes on-line, manipulação da opinião pública e outros. Nesse ambiente, cada clique em um link ou uma “curtida” é moeda e torna-se uma informação a ser analisada por algoritmos, como também aborda um dos artigos desta edição.

A tecnociência viaja nos drones sobre nossas cabeças, não apenas  nas guerras, mas também cada vez mais utilizados na vigilância urbana, embora nos conflitos entre estados nacionais seu uso seja o mais devastador, como retrata este especial. Quase todas são tecnologias invasivas, como a que é abordada em outro material desta edição, a biometria e a identificação por chip, um caminho que vem sendo percorrido a passos largos. O avanço da tecnociência é um campo fértil de benefícios, mas nenhuma tecnologia é isenta em seu uso, como testemunhamos atualmente. Uma luta é fazer com que seja mediada por instrumentos de controle democrático.

Fonte: Caros Amigos

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *