Macau: convocado pela Câmara, prefeito presta esclarecimento sobre as finanças do município

Macau – O Plenário do Palácio Afonso Solino, sede do poder legislativo macauense, se tornou pequeno para aqueles que foram na quinta-feira (07), às 15h, assistir o prefeito de Macau, Tulio Lemos, prestar esclarecimento sobre as finanças do município de Macau.

Após os esclarecimentos prestados, por cerca de 20 minutos, onde o chefe do executivo macauense fez um relato de como encontrou as finanças do município, logo que assumiu o cargo, e detalhou o que levou a  atrasar os salários dos servidores.

Impasse  vai de encontro ao estado democrático de direito

Ao deixar a Câmara o prefeito macauense foi alvo de atitudes desrespeitosas por parte  de alguns descontentes e exaltados com a atual  administração, que o agrediram verbalmente chamando  de ladrão e bandido.Insensatez tem limite.

É lamentável que em um estado democrático de direito algumas pessoas percam a racionalidade e se deixe levar pela emoção, induzidos pelos que pregam quanto pior melhor a ponto de incitar o ódio. Macau não pode voltar às páginas policiais como era de costume.

Vale ressaltar que o cidadão tem todo o direito de se expressar e se manifestar, mas ciente de que estamos numa democracia que exige respeito ao outro.

O trabalhador tem o direito de reivindicar o seu salário atrasado porque sobrevive dele e o gestor tem a obrigação resolver. O fato de o salário estar atrasado deve ser objeto de diálogo para que se encontre uma solução a curto prazo, mas não justifica as agressões (como ladrão, bandido) a um prefeito eleito democraticamente pelo povo e que queira ou não é uma autoridade. .

É preciso refletir porque apostar numa desestabilização da atual administração trará conseqüências sérias para o município de Macau e agir de maneira conspiratória não é democrático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *