Exame de urina simples pode apontar envelhecimento biológico, diz estudo

Cientistas acreditam que substância presente na urina é capaz de mostrar a idade biológica, alertando para riscos de doenças e até prevenindo a morte

Sua urina pode falar muito sobre você. Mais até do que você pensa. Recentemente, cientistas chineses descobriram que um teste de urina simples pode medir o envelhecimento do corpo humano, revelando a idade biológica no lugar da cronológica, e até quanto tempo de vida ainda resta.

Leia também: Pesquisadores encontram vírus da febre amarela em urina e sêmen de paciente

O achado, publicados na revista Frontiers in Aging Neuroscience, envolve uma determinada substância, conhecida como 8-oxoGsn, que indica danos celulares, e que aumenta na urina à medida do envelhecimento de cada um.

Ao determinar a idade biológica das pessoas, que pode variar de organismo para organismo mesmo que elas tenham a mesma idade cronológica, será possível avaliar o risco que cada um tem de sofrer doenças relacionadas ao envelhecimento e até prevenir a morte prematura.

“O 8-oxoGsin urinário pode refletir a condição real de nossos corpos melhor do que a nossa idade cronológica e pode nos ajudar a prever o risco de idade doenças “, reforçou o autor do estudo, Dr. Jian-Ping Cai, do Centro Nacional de Gerontologia da China.

A técnica eficiente de análise de urina utilizada pelos cientistas, que avaliou as amostras de até 10 indivíduos em uma hora, pode ser útil em estudos futuros que investigam a ligação entre 8-oxoGsn e envelhecimento biológico.

Marcador de envelhecimento

Estudos anteriores já haviam mostrado que os níveis de 8-oxoGsn aumentam na urina dos animais à medida que eles envelhecem. Portanto, os pesquisadores decidiram analisar amostras de urina de 1.228 residentes chineses, com idade entre dois e 90 anos.

“Encontramos um aumento no 8-oxoGsn urinário em participantes com idade igual ou superior a 21 anos. Podemos concluir que a substância é um promissor marcador de envelhecimento”, afirmou Dr. Cai.

Os resultados sugerem que os níveis de 8-oxoGsn foram aproximadamente os mesmos entre os homens e as mulheres que participaram do estudo, exceto nas mulheres pós-menopausa, que demonstraram níveis mais elevados.

Leia também: Equipamento portátil realiza exames laboratoriais com resultado imediato

Idade biológica

Os pesquisadores chineses partiram do princípio de que o envelhecimento normal é como uma doença, em que as células acumulam danos com o tempo.

A taxa de dano celular, porém, pode variar de pessoa para pessoa independente da idade cronológica, pois depende de fatores genéticos, ambientais e estilo de vida.

Por isso, o melhor jeito de medir os danos celulares é por meio da idade biológica, que pode ser medida pelo 8-oxoGsn.

Envelhecimento não é sinônimo de doença

Alguns críticos argumentam, no entanto, que o envelhecimento por si só não pode ser considerado um indicativo com precisão do aparecimento de doenças. Eles acrescentam que o estudo não investigou uma ligação entre 8-oxoGsn e condições associadas aos idosos, como o Parkinson.

“O artigo mostra que é possível detectar 8-oxoGsn na urina humana e seu aumento se correlaciona com o aumento de idade. No entanto, o envelhecimento não é uma doença, e sim um fator de risco para doenças relacionadas com a idade, da mesma forma que o tabagismo é para câncer de pulmão”, avaliou a professora de envelhecimento musculoesquelético na Universidade de Sheffield Ilaria Bellantuono, que não estava envolvida no estudo.

Para ela, a pesquisa não é suficiente para dizer se a substância pode ser usada como um marcador para prever a ocorrência de doenças.

“Por exemplo, este artigo não mostra se este marcador está presente em níveis mais elevados em pessoas afetadas por doenças como osteoporose, diabetes ou Parkinson”, completou Bellantuono.

Leia também: Cientistas criam teste que detecta câncer de bexiga em ‘odor’ de urina

Shuttersock

Medição do envelhecimento pode ser feita a partir da quantidade de 8-oxoGsin presente na urina, afirma estudo

Fonte: Saúde – iG /Minha Saúde

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *