Pré-candidatura de Eduardo Lemos poderá inviabilizar a reeleição do prefeito Tulio Lemos

Macau – No meio do caminho tinha uma pedra.Tinha uma pedra no meio do caminho. Tinha uma pedra. No meio do caminho tinha uma pedra.

Nunca me esquecerei desse acontecimento. Na vida de minhas retinas tão fatigadas. Nunca me esquecerei que no meio do caminho.Tinha uma pedra.Tinha uma pedra no meio do caminho. No meio do caminho tinha uma pedra.

O poema acima é de Carlos Drummond de Andrade e retrata bem como será o cenário político rumo a sucessão macauense de 2020.

Candidatíssimo a reeleição, o prefeito de Macau Tulio Lemos enfrentará “uma pedra no caminho”, e essa pedra se chama Dr. Eduardo Lemos. A pré-candidatura do  médico é dada como certa, segundo seus aliados. A euforia é tanta, que até os mais otimistas “sonham” ou têm “pesadelos” de que Eduardo terá o apoio moral de Flávio Veras – que tem dito não querer mais se envolver em política.  .

O fato é que a candidatura do médico Eduardo Lemos a sucessão macauense significa uma derrota antecipada do prefeito Tulio Lemos ou do próprio Eduardo, haja vista que a família não tem capital eleitoral para lançar dois candidatos. Sem falar que  enfrenta o desgaste político em virtude da situação em que  se encontra o município de Macau, com os salário dos servidores e fornecedores em atraso.

Nessa luta política, entre Teteo contra Teteo, resta-nos saber quem será nocauteado primeiro.

Foto: Josevan Dantas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *