Macau: Prefeitura apoia a realização do I Whorkshop para focalizar a criação de algas marinhas em escala comercial

Através do secretário Antonio Alberto Cortez, da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Pesca, o prefeito Tulio Lemos convidou o professor Maulorí Cabral, da Universidade Federal do Rio de Janeiro para iniciar a atividade no cultivo de algas marinhas no litoral macauense, uma vez que o estudioso tem se dedicado a novos experimentos e descobriu uma nova alga com reprodução sustentável e que poderá contribuir com a economia do municipio produtor. Para isso, nesta 2a feira, 30, estará sendo iniciado o I WHORKSHOP MACAUENSE SOBRE ATIVIDADES ESTRATÉGICAS NO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM BASE NA ALGICULTURA DAS MACROALGAS, a partir das 16h00, no auditório do Porto de Ama. Para o prefeito de Macau, “a iniciativa faz parte de um trabalho abrangente que buscamos na criação de empregos dentro da vocação do nosso municipio. Acreditamos que em breve teremos os primeiros resultados fruto desse trabalho”

A primeira palestra, nesta 2a feira, 30, será voltada para público ligado diretamente ao setor da saúde, quando o professor Maulori Cabral enfocará o tema “Os prolegômenos da virologia com ênfase nas viroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti”.

Na 3a feira, 01/10, às 09h00, no Centro Cultural Porto de Ama, o professor Maurolí Cabral irá descrever o aprofundamento de seus estudos na descoberta de um novo tipo de alga marinha e abrirá para discussão o tema “Macroalgas como ferramenta para sustentabilidade ambiental e econômicas”. Na parte da tarde, a partir das 14h30, o Whorkshop terá prosseguimento com o estudioso da Universidade Federal do Rio de Janeiro abrindo debates dentro de sua palestra “Alternativas para o desenvolvimento sustentável no RN, em particular na região de Macau e adjacências, com base na Algicultura de Macroalgas marinhas”.

O Whorkshop deverá se prolongar até o dia 02/10, quarta-feira e, além do público interessado e autoridades representativas locais, deverão se fazer presentes professores do IFRN, da UFRN e da UFERSA e empresários da área.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *