Remédio usado por grávidas recebe alerta por formação de lábio leporino em bebês

O risco é maior entre as gestantes que fizeram uso do remédio no primeiro trimestre de gravidez; ele aumenta o risco de formação da fenda palatina

Um medicamento usado contra enjoo, náuseas e vômitos recebeu um alerta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) no mês de setembro de 2019, após um estudo que mostrou que o uso da  Ondansetrona/Vonau, remédio usado por pacientes oncológicos e em pós-operatório, mas também grávidas, aumenta o risco de defeitos no fechamento orofacial dos bebês — formando a chamada fenda palatina ou o lábio leporino.

O risco é maior entre as grávidas que fizeram uso do remédio no primeiro trimestre de gravidez, embora o segundo e terceiro trimestres também não tenham a segurança estabelecida, conforma alerta a Anvisa.

Dr Bruno Puglisi diz que esse alerta foi divulgado após conclusões de uma revisão realizada pelo Comitê Europeu para Avaliação de Riscos em Farmacovigilância.

As recomendações da agência para os profissionais de saúde foram:

– Evitar o uso de ondansetrona na gestação, especialmente no primeiro trimestre.

-Informar a todas as pacientes em idade fértil em tratamento com ondansetrona sobre o aumento do risco de defeitos no fechamento orofacial com o uso do medicamento .

A Agência Espanhola de Medicamentos e Produtos de Saúde lembra os profissionais de saúde:

Ondansetrona não está indicado no tratamento de mulheres grávidas e este uso deve ser evitado, especialmente durante o primeiro trimestre da gravidez.

É importante informar todos os pacientes em idade fértil que necessitam e estão em tratamento com Ondansetrona, sobre o risco de defeitos de fechamento orofacial em caso de administração durante o primeiro trimestre da gravidez, recomendando o uso de medidas contraceptivas eficazes.

A bula de todos os medicamentos Ondansetrona serão atualizados para incorporar essas novas informações de segurança. Prevê-se para avaliar o risco de malformações congénitas associadas com a administração durante a gravidez de outros princípios ativos pertencentes à grupo de Ondansetrona.

Fonte: IG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *