Ficha Limpa: Justiça Eleitoral confirma candidatura de Tulio e Pintinho

As candidaturas a prefeito e vice-prefeito da chapa do PSD foram homologadas pela justiça

Tulio Lemos e Jairton Pintinho foram confirmados como candidatos a prefeito e vice-prefeito, respectivamente, na tarde deste sábado. A decisão foi oficialmente divulgada pela justiça eleitoral após a avaliação de todos os documentos enviados pelos candidatos. A homologação tem como base ao cumprimento de todos os pré-requisitos estabelecidos pelo Tribunal Superior Eleitoral. O principal deles é a idoneidade dos candidatos comprovada através de certidões negativas que mostram a lisura da vida pública do atual prefeito Túlio Lemos e vereador, candidato a vice-prefeito, Jairton Pintinho.
“Estávamos certos de que essa homologação da nossa candidatura se daria rapidamente. Temos uma vida política pautada pela honestidade e seriedade”, ressaltou o prefeito Túlio.

Pintinho lembrou que, tanto Túlio quento ele, foram muito fiscalizados pela câmara de Macau como pelos órgãos de controle e pelo próprio Ministério Público, e que a atuação dos dois sempre afastou qualquer possibilidade de algo abalar a correção com que ambos tratam as funções públicas. “Honestidade é uma obrigação. A política também é feita por gente séria como os que estão do nosso lado. E Macau vai confirmar que não quer voltar às páginas policiais com os ficha sujas”, ressaltou Pintinho.

Enquanto a chapa do PSD comemora a homologação das candidaturas, para o candidato do DEM, a oposição liderada por José Antônio de Menezes, ainda corre o prazo de três dias para que ele apresente os documentos solicitados pela justiça eleitoral. Dois desses documentos são certidões negativas da justiça estadual de primeiro e segundo grau.
Além de ainda não conseguir a homologação da candidatura em virtude da ausência de documentos, o candidato do DEM, José Antônio, ainda tenta manter-se fora da lista de Fichas Sujas divulgadas pelo Tribunal
de Contas do Estado. Tanto o TCE quanto o TCU (Tribunal de Contas da União) condenaram o ex-prefeito por irregularidades na gestão. Em apenas um dos processos que ainda correm no TCE o Ministério Publico de Contas solicita que Zé Antônio devolva R$ 2,7 milhões de reais aos cofres públicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *